Agricultura: A Pagadora de Contas

by itlabs
377 views
artigo AGOSTO

Artigo do deputado Zé Silva

Jornal – Hoje em Dia – Belo Horizonte 

 

Tenho dito que o Brasil, infelizmente, optou por um tipo de desenvolvimento econômico e social que privilegia as cidades, as metrópoles. E com isso deixa ao abandono as populações das pequenas cidades, dos distritos e vilarejos, sem investimentos e políticas públicas que lhes garantam a oportunidade de ali viver e trabalhar.

Há cerca de 60 anos, o Brasil tinha 85% de sua população no meio rural. Hoje, essa relação se inverteu: 85% da população estão nos meios urbanos. O resultado desse modelo é amplamente conhecido: desigualdades sociais, insegurança, criminalidade, esgarçamento cultural, demandas crescentes e não atendidas nas áreas de saneamento básico, moradia, serviços de saúde, mobilidade e qualidade de vida.

Essa configuração social do país, com a concentração das populações em cidades imensas e caartigo AGOSTO
óticas, tem um alto custo para a administração pública. São cada vez maiores os investimentos em saúde e educação, em saneamento, segurança pública, habitação e mobilidade (para não dizer das nossas péssimas estradas vicinais).

E para a manutenção desse modelo, a população rural, por meio de sua atividade econômica, a agricultura, é chamada sempre a pagar a conta, com impostos, com os altos preços dos insumos e represamento de preços de seus produtos, por exemplo.

E paga essa fatura mesmo sem um adequado planejamento, sem investimentos em infraestruturas e condições de comercialização, sem que o Estado invista em políticas sociais. Agora, com o acirramento da crise econômica, a economia rural é o único setor que não teve desemprego. Ao contrário, aumentaram as oportunidades de trabalho.

Para se ter ideia de como a agricultura é chamada a pagar a conta, temos alguns números. Um comparativo de indicadores no início do Plano Real, em 1994, até 2015: em 94, uma colheitadeira custava R$ 61 mil; em 2015, seu preço é de R$ 330mil, com variação de 439,42%, com 83,57% a diferença inflação.

Já o preço da saca do milho era de R$ 6,32 em 94; em junho de 2015, o preço é de R$ 17,67, uma variação de 179,59%, com 343,41% a diferença inflação, e teria um preço corrigido pelo IGPD-I de R$ 39,37. Ainda nesses comparativos, elaborados pela Fecoagro/RS, FGV, Banco Central, Emater/RS, Dieese, Mapa e Conab, o trigo teve as seguintes variações: R$ 8,67 por saca em 1994; R$ 34,98 em junho/15; variação no período de 303,46%, diferença inflação de 219,54%, e preço corrigido IGPD-I de R$ 54,01.

Enquanto isso, para citarmos apenas alguns insumos, o adubo era de R$ 210,00 a tonelada em 94, e agora é de R$ 1.250,00, com variação de 495,24% no período. A ureia, preço por tonelada, era de R$ 320,00 em 94, e em junho de 2015, de R$ 1.255,00, variação de 230,81% no período. E o óleo diesel, que custava R$ 0,38 o litro em 94, custa em 2015 R$ 2,48, variação de 552% no período.

Bastam esses poucos números para ver o tamanho do desafio colocado às famílias rurais e aos empreendedores da agricultura brasileira, onde as máquinas e insumos têm preços corrigidos em patamares que chegam a ser o dobro dos preços dos produtos agrícolas. E, assim, pagam a conta de um modelo equivocado de desenvolvimento, sem receber a contrapartida do Estado brasileiro.

Por supuesto, hay algunos asuntos que usted debe considerar sobre los medicamentos. Actualmente más de quoter de hombres mayores de 50 años reportó algún grado de dificultades eréctiles. Por lo general, tanto los hombres como las mujeres sufren de problemas sexuales. Nuestro artículos de oficina se centra en “Genérico Zithromax“. ¿Cómo puede obtenerlo información adicional detallada sobre “Genérico Zitromax“? Más información personal sobre Kamagra disponible en “Genérico Azitromicina“. Si necesita tomar medicamentos recetados, pídale a su médico de cabecera que verifique primero sus niveles de testosterona. Es seguro que debe tomar en cuenta en consideración los efectos secundarios potencialmente graves antes de comprar cualquier medicamento. Antes de usar este medicamento, informe a su médico si es alérgico a cualquier cosa.

Veja mais