Deputado Zé Silva defende mais espaço nas carrocerias que  transportam os animais  nas estradas brasileiras   

by itlabs
665 views

Projeto de Lei 6.392/2016, de autoria do deputado federal Zé Silva (Solidariedade-MG), referente ao transporte de semoventes, como cavalos e bois, foi o tema da audiência pública realizada nesta, terça-feira (12), na Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados.

A proposta do deputado Zé Silva modifica a altura máxima atual dos veículos utilizados no transporte desses animais dos atuais 4,40m para 4,70m, considerada pelos pecuaristas e pelos sindicatos de trabalhadores rodoviários, caminhoneiros e carreteiros como a causadora de prejuízos e lesões nos animais, pois a altura atual não é suficiente para o transporte seguro dos animais. ”Além da alteração no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) o projeto exige treinamento especializado para realizar esse transporte”, disse o parlamentar que propôs o debate.

Presentes na audiência os representantes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), o Conselho Nacional de Trânsito (Contran), o prefeito de Iturama, Anderson Golfão (PMDB), vereador de Iturama, Paulinho Trevo Dois, o diretor da Vilaços Empreendimentos Rodoviários, Wilson Catiste, caminhoneiros de vários estados do Brasil e o presidente da Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Antaer), Walmisoney Jardim.

“A mudança na Lei é uma reivindicação antiga da categoria, estou falando de uma causa que conheço. O transporte de carros tem altura de até, 4,95, mas, para transportar animais, vidas pelas estradas brasileiras a altura é de 4,40, não conseguimos entender essa diferenciação. O projeto do deputado Zé Silva, não atende apenas à categoria de Minas, mas de todo Brasil. É abuso com os carreteiros que transportam bois e outros animais e também sofrem prejuízos financeiros”, explicou Paulinho.

“A metragem das cegonheiras que circulam pelas estradas do país é de 4,95 m, isso justifica, o meu pedido para modificar a lei, portanto é injustificável o argumento de que viadutos e pontes são empecilhos para a aprovação da proposta. A altura permitida atualmente encarece o preço do frete e, consequentemente, o preço da carne na mesa do consumidor”, explica Zé Silva.

“Para ter a altura permitida, as empresas tiveram que suprimir ao máximo o sistema de suspensão dos veículos e até dos pneus. Segundo ele, mesmo com a alteração, o espaço para o gado em cada andar é de apenas 1,65 m de altura. Já reduzimos o chassi, a suspensão e as medidas dos pneus para poder ganhar altura interna maior para o gado. Não temos mais como diminui”, explicou o representante dos fabricantes de carrocerias, Wilson José Catiste, da empresa Vilaços.

Os representantes Técnicos do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), afirmaram estar surpresos com as colocações disposta na audiência e disseram que vão estudar as sugestões de mudanças na legislação.

Atualmente é mais de 1.500 transportadores de carga viva que estarão sujeitos a multa, caso aumentem a altura dos veículos para dar melhores condições aos animais que são transportados.

Fotos: https://www.flickr.com/photos/152328814@N08/albums/72157685975780921

 

 

 

 

 

Veja mais