Deputado Zé Silva promove debate em defesa da preservação das veredas do cerrado brasileiro

by itlabs
542 views
12 600x399

12 600x399

O deputado federal Zé Silva (Solidariedade/MG), promoveu na Comissão de Meio Ambiente da Câmara dos Deputados, audiência pública, que reuniu vereadores, autoridades mineiras, representantes de instituições da sociedade civil, especialistas e jornalistas para discutir a degradação das veredas brasileiras e a importância desse ecossistema. O parlamentar autor do requerimento para a realização do debate é admirador da obra literária de Guimarães Rosa, o grande sertão: veredas, destacou a reportagem realizada pelo jornalista Luiz Ribeiro, do jornal Estado de Minas, que percorreu cerca de 2,1 mil quilômetros do Norte e Noroeste de minas visitando veredas em 12 municípios que apresentou vasta degradação.

 

“É indispensável falar de veredas e não se lembrar da obra sexagenária de Guimarães Rosa, que ilustrou tão bem a importância desse importante ecossistema, que já foram chamadas de “oásis do sertão”. Mas hoje, são regiões do cerrado afetadas pela falta d´água. Praticamente todas as veredas já sofreram algum tipo de impacto e várias estão completamente secas, por isso, o debate e soluções práticas são indispensáveis”, destaca Zé Silva.

O repórter Luiz Ribeiro fez breve relato sobre o trabalho realizado nos municípios mineiros, apresentou a situação das veredas e esclareceu os problemas enfrentados por moradores do norte mineiro com a seca de rios e córregos. Agressões ao meio ambiente desmatamento, assoreamento, construção de estradas sem planejamento, pisoteio de gado e queimadas foram situações relatadas no trabalho do jornalista, que destacou a importância da tomada de providências urgentes, destacando o Rio São Francisco como um dos principais prejudicados com a devastação. “Estamos falando de Minas Gerais, estamos falando do nosso futuro, não teremos reforma, não teremos crescimento, mudanças, se não tivermos água.Portanto, essa audiência é o começo de qualquer mudança”, esclarece Luiz Ribeiro.13 600x399

 

A professora Maria das Dores Veloso, do Departamento de Biologia da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), apresentou as ações feitas para recuperação das nascentes chamada projeto “Vereda Viva”, implementado pela universidade em parceria com o Ministério Público Federal (MPF), que levanta os danos causados nas veredas na região de Bonito de Minas, onde está situado o pantanal mineiro do Rio Pandeiro, importante berçário de peixes do Rio São Francisco. Recuperação “Por causa dos impactos nas veredas, o pantanal mineiro sofreu uma grande redução de suas áreas alagadas nos últimos anos. Afirmo que é preciso liberar mais recursos para investimentos na recuperação das nascentes”, explica a pesquisadora.

 

O engenheiro agrônomo Fernando Britto, chefe de gabinete da Superintendência Regional da Codevasf em Minas Gerais, que tem sede em Montes Claros, esclareceu que as ações de controle de processos erosivos são empregadas pela Codevaf com o objetivo de conter a erosão, diminuir as enxurradas e reduzir o assoreamento de áreas de veredas e cursos d’água .”Já foram investidos R$ 620,4 milhões em 162 municípios da região semiárida do estado; destes, R$ 100 milhões foram empregados no controle de processos erosivos. As intervenções buscam recuperar, conservar e preservar áreas em situação de vulnerabilidade ambiental e têm como uma de suas consequências à melhoria da disponibilidade de água em quantidade e qualidade para usos diversos”, acrescentou.

 

2 600x399

 

“A proteção de veredas deve levar em consideração o tripé geração de renda, preservação e recuperação, uma das medidas eficazes de proteção é a delimitação das áreas de vereda. A proteção deve ser de 100 metros a partir do solo hidromórfico, um solo escuro facilmente identificável, outra medida importante seria o cadastramento das veredas com base em informações de imagens de satélite”, disse o coordenador da Área Técnica de Manejo de Bacias da Emater-MG, Maurício Roberto Fernandes.

 

“É necessário que terraços, curvas de nível e barragens sejam empregadas em propriedades rurais para que a água da chuva seja contida e armazenada e, assim, mantenha veredas e nascentes vivas”, disse o prefeito de Urucúia (MG), Rutílio Eugênio Cavalcanti.

 

“A audiência deixa uma ação prática em que a Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater), em parceria com a Unimontes, construirão um programa de educação ambiental para preservação das nascentes das matas ciliares, mais especialmente das nossas veredas do cerrado brasileiro”, conclui Zé Silva

 

Fotos do evento: https://www.flickr.com/photos/131759250@N04/ 

Veja mais