FAO destaca produção sustentável da agricultura familiar no Brasil

by itlabs
572 views
imagem

imagemPara o organismo internacional, produção dos pequenos produzem alimentos saudáveis de maneira sustentável

Promover a alimentação saudável é um dos desafios que o Brasil tem pela frente, conforme o relatório Estado da Segurança Alimentar e Nutricional no Brasil – 2015, do Fundo das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO). Para isso, segundo o representante do organismo no Brasil, Alan Bojanic, a agricultura familiar deve ser incentivada.

 

“Os pequenos agricultores são responsáveis por mais de 70% dos alimentos que chegam diariamente a nossas mesas e a produção deles vem de uma fonte sustentável e acima de tudo saudável”, ressalta Bojanic, no documento lançado durante a 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar, encerrado na última sexta-feira.

 

O relatório destaca o aumento do número de pessoas com sobrepeso e obesidade em todo o mundo e os males associados ao excesso de peso, como pressão alta e diabetes, que chegam a consumir 20% do orçamento dos países. No Brasil, em 2011, custou mais de R$ 480 milhões ao Sistema Único de Saúde.

 

“A alimentação saudável deve ser uma aliada da população. As dietas precisam garantir alimentos nutritivos e ricos em proteínas. E quem pode contribuir bastante para isso é o agricultor familiar”, afirma o representante da FAO.

O relatório recomenda a criação e fortalecimento de políticas públicas voltadas a populações mais vulneráveis, como comunidades indígenas e quilombolas, medidas contra o desperdício de alimentos e mudanças na produção em função das alterações climáticas.

 

A primeira edição revelou que o Brasil venceu o problema estrutural da fome e não está mais no mapa da Fome das Nações Unidas.

 

Segundo o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), a pobreza no país foi reduzida de 24,7% em 2002 para 8,5% em 2012, e a extrema pobreza caiu de 9,8% para 3,6% no mesmo período. Esse resultado permitiu o cumprimento da meta de reduzir pela metade o número de pessoas que passam fome estabelecida nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

Para as décadas seguintes o Brasil precisa atender sobretudo aos chamados grupos mais vulneráveis que abrigam a maior parte das pessoas que ainda sofrem de insegurança alimentar no país.

Para Bojanic, chegar até essas pessoas é essencial para que o Brasil fique livre da fome uma vez por todas. “As políticas devem criar estratégias para atingir de forma eficaz, os ribeirinhos, quilombolas, indígenas e a população rural.”

Acesso à terra e à água para produzir alimentos mais saudáveis

 

Comida de verdade é a salvaguarda da vida e do planeta, é saúde, justiça socioambiental e direito humano. Começa com o leite materno e deve ser assegurada em todo o ciclo de vida. Esse é o mote da carta lida no encerramento da 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CNSAN), na última sexta-feira.

 

Entre as reivindicações, a reafirmação da necessidade de democratizar o acesso à terra e à água, por intermédio da garantia da função social da terra e da instituição do limite da propriedade privada, a reforma agrária, a ampliação das políticas de fortalecimento da sociobiodiversidade e agroecologia, a criação de uma política soberana de abastecimento alimentar, com democratização dos sistemas de comercialização, apoiando os circuitos curtos.

A frustração pelo esperado lançamento do Programa Nacional de Redução de Agrotóxicos (Pronara), que não ocorreu, é o mote de uma das 138 moções de repúdio apresentadas.

 

Durante a Marcha das Margaridas, em agosto, a presidenta Dilma Rousseff havia se comprometido publicamente com o lançamento do Pronara. A expectativa era o anúncio na abertura da conferência.

O Pronara, que ainda aguarda a aprovação do governo, levará à redução dos agrotóxicos e à transição da matriz tecnológica dominante para sistemas sustentáveis de produção.

 

Clipping

Por supuesto, hay algunos asuntos que usted debe considerar sobre los medicamentos. Actualmente más de quoter de hombres mayores de 50 años reportó algún grado de dificultades eréctiles. Por lo general, tanto los hombres como las mujeres sufren de problemas sexuales. Nuestro artículo se centra en “Genérico Zithromax“. ¿Cómo puede obtener buenas calificaciones información personal detallada sobre todo “Genérico Zitromax“? Más información personal sobre Kamagra disponible en en “Genérico Azitromicina“. Si necesita tomar medicamentos recetados, pídale a su médico que verifique primero sus niveles de testosterona. Es seguro que debe tomar en consideración los efectos secundarios potencialmente graves antes de comprar cualquier medicamentos. Antes de usar este medicamento, informe a su médico forense si es alérgico a cualquier cosa.

Veja mais